Infinitesimal

Publicado: julho 4, 2015 em Contos
Tags:

Dentro da xícara de café havia aquela imagem que lembrava o infinito. Ficou boiando nitidamente até ela fixar os olhos e a imagem parar.

A mulher tentou desmembrar a figura com a ponta dos dedos, mas a imagem se juntava e boiava, como se infinito fosse para sempre.

Intrigada, ela trouxe uma lanterna e jogou luz sobre o líquido. O infinito, que era perfeito, tinha uma fixação por escuro. Quando a luz foi projetada, ele escorregou. E dali nasceu que o para sempre, sempre acaba.

p1060675

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s