Para Melise Fremiot ou Os dias dos outros ou Os outros nos dias

Publicado: março 22, 2012 em Das coisas que se aprende
Carrego em mim um traço que vai rasgando a alma
Como se almas fossem marcadas.
Os outros com marcas picotadas,
A minha com caneta e giz.
Dentro de mim toda intensidade em volts
Pulsando eletricidade em poros.
O outro, diverso do primeiro.
Eu, invólucro sentimental que agarra coisas com o dedo,
Um tanto de pensamento.
O outro, o eu que não sou.
Nós, no lugar onde vivem os monstros.
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s