O lugar plantado de árvores

Publicado: agosto 12, 2011 em Contos

Só entendia o valor do bosque quem já tinha sido árvore. Quem já teve pé de raiz, orelha de folha, coração de chão de terra, alma de sol em copas. Era no bosque úmido que as pessoas entravam e era do bosque que elas saíam. Centro magnético vital repleto de paciência. Os dias que eram longos demais e as vidas que eram muito curtas.

Só entendia o valor do bosque quem sujava unha com amêndoas. Quem tinha coragem de colocar a cabeça em buraco de areia, em lugar escuro para sentir pulsação de vida. Porque a vida foi criada em um bosque e saiu correndo para avisar que os barulhos assustavam só os bobos humanos. Quem era deus tinha bosque. Quem era fogo tinha caminho. Quem era água vivia lá. Quem era ar sobrevoava. Foi no bosque que se pegou a primeira muda e foi do bosque que se partiu o primeiro caminho. Ancestralidade. Valor interno. Busca e coisa fácil de se libertar. As melhores estórias passam pelo bosque. E ele as guarda. O que ouvimos são os sussurros que pairam. E se prestar atenção, para proteger, os bosques também cantam. Em plantas, flores, bichos alados. Não muito extenso nem muito denso.  Espaço claro e escuro. Aberturas.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s