O raio de luz

Publicado: dezembro 12, 2010 em Contos

Ele tinha uma bicicleta e raio de sol guardado para dia nublado. Quando estivesse frio lá fora ou quando estivesse quente aqui dentro.

Rodolfo pedalava em rodas novas. Guidão atlético, aro metálico. Usava os pés para chegar até ela. Toda musculatura para encontrá-la pelas ruas, pelas pedras que trepidavam, pelo asfalto quente que evaporava suor.

Mas foi só quando um raio de sol bateu em uma poça de água parada que ele viu que o colorido a ativaria. Achou sua lembrança perdida em uma esquina onde não passava ônibus. Desceu de seu veículo ciclista e a olhou como quem olha menina encantada. E a lembrança foi que nem transporte do dia-a-dia, se escondeu atrás de uma nuvem e continuou seu trajeto, como se fosse pombo qualquer chutado. Precisava de migalhas para voar.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s