O tédio assim

Publicado: abril 24, 2010 em Contos
Alguém faria aniversário 24 de abril. Teria bolo, guardanapo e copo plástico. Não me recordo quando nem quem, mas alguém assopraria velas por gostar de ver a chama tremeluzir.

Depois outro alguém faria uma piada sobre gordura hidrogenada e aí algumas pessoas evitariam comer o glacê. Num dia assim, 24 vezes os pés das pessoas encontrariam o chão ritmado, batucado por objetos eletrônicos.

Dizem que não deveríamos temer esses tempos. Falaram de portais, ondas na areia, rios vermelhos, danças de surfistas rockeiros. Eu ficava ali, pensando na porra do cadarço que teimava em ser puxado pelo gato do vizinho. Eu ficava ali, vendo o batuque passar e voltar como ventilador meio quebrado, meio oblíquo.

# Meu coração era assim, eu dizia. Amassado com catchup cinematográfico.

# E o que você fez? – só o gato perguntou.

# Eu comprei mostarda.

Anúncios
comentários
  1. B.~* disse:

    Um desenvolvimento bom, o texto tem uma crítica velada mas é engraçado.http://quadrado-magico.blogspot.com/

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s