Au passant

Publicado: outubro 8, 2008 em Contos
As coisas desdobravam-se como em camadas de gordura humana. Como rastro de lesma. Miguel debruçou-se sobre o parapeito do táxi na cidade mais fedentina. Viu passar uma criança chinesa de pijama que brincava em cima de um balcão de pastelaria. Estava cansado de ouvir falar de trabalhismo.

O taxímetro rodava como gotas de suor em exercícios de academia. As marcas, os adesivos, as campanhas. Todo o cognitismo au passant. O sinal fechou. Jujubas e amendoins foram postos em retrovisores. Exercitou suas íris olhando para o lado.

Apaixonou-se por um gigante Trident melancia shake que balançava em frente à barraca de doces.

Protege os dentes. + sabor por + tempo. Sem açúcar.
100 açúcar.

Abriu a porta do táxi. Tocaram seus pés o chão. Chão de papéis de bala, guimbas e pegadas pré-individuais. Ouvira ao longe um resmungo do motorista. Estava cego, desnorteado, consumista.

Acariciou o objeto de plástico. Cores tropicais. Brasilidade. Abriu a boca e agarrou-se, lambendo o gigante Trident. O motorista buzinou. Com o gosto de poeira, mostrou sua língua para o motorista,

# É verdade? – perguntou.
# O quê? – o motorista respondeu com outra pergunta.


Miguel apontou para a língua. O motorista mandou chegar mais perto.

# Parece que sim – ele respondeu – Se me pagar, posso comprovar.

Com a língua exposta, saliva acumulada, Miguel tirou uma nota do bolso da calça jeans e a entregou ao homem. O taxista puxou a língua de Miguel, passou o indicador no órgão e chupou seu próprio dedo.

# Sim, é verdade.

Miguel sorriu. Voltou para o Trident que balançava calmamente na brisa tropical e o puxou. Correu até o carro e mandou acelerar. Enquanto o veículo sacudia e Miguel abraçava seu Trident de plástico, seus pensamentos agradeciam ao infinito por viver na sociedade da informação.

Sim, ácaros eram doces.

Anúncios
comentários
  1. Beline disse:

    Sou leitor vagabundo e sem tempo, o livro ta sempre lá, mas o blog tem que ser procurado. Sorrio quando chego aqui. Gosto dos textos.Todos.

  2. Henrique disse:

    em encantou novamente, parece pobre no início mas depois sacode minha ampulheta fazendo escorrer areia para os dois lados.beijossou teu fã

  3. r4f4 disse:

    Um realismo fantástico…. Gostei!!!

  4. Didi disse:

    Quanto tempo que eu não passava por aqui né, mas o blog continua o mesmo de sempre, claro sempre com textos ainda melhores, sempre com textos com finais surpreendentes.

  5. INTERESSANTE !!!!!NOTA 10 !!!

  6. Ca:mila disse:

    Nunca tinha sentido o gosto dos ácaros antes, alguma coisa grudou na ponta da minha lingua.

  7. disse:

    saudações!estamos num amplo movimento por este projeto.proponho que una-se a nós.o que acha?faça contato, é importante!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s