Luzes

Publicado: janeiro 27, 2007 em Contos
Irlanda do Norte. O tempo nos carrega.

Moara toca levemente o vento. Segundo Camus, há um universo do ciúme, da ambição, do egoísmo ou da generosidade. Um universo, isto é, uma metafísica e um estado de espírito. Os grandes sentimentos trazem junto com eles seu universo, esplêndido ou miserável.

O toque eólico abre uma fenda. Ela tem um anel mágico. Daqueles que cruzam universos. Ciúme, ambição, egoísmo ou generosidade. A abertura pode trazer junto qualquer sentimento.

Moara sabe que sua humanidade pode ser esplêndida ou miserável. Mas mesmo assim, ela efetua um buraco na dimensão. Curiosidade humana. Benção ou fardo.

Calçada dos Gigantes. Cavernas. Claustrofobia.

As luzes acalentam nosso cérebro. A escuridão atrapalha o raciocínio.

O verme se acha no coração do homem. É ali que é preciso procurá-lo. É preciso seguir e compreender esse jogo mortal que arrasta a lucidez em face da existência à evasão para fora da luz. As palavras de Camus rodeavam os pensamentos analíticos de Moara. As frases se transformavam em orações complexas.

Como o pensamento humano é medíocre. Na hora do desespero só ouvimos as palavras dos outros.

Moara fecha a fenda. Quando ela retorna, a luz a corta em losangos. O reflexo são estalactites em um abismo profundo. Ela trouxe o sentimento. E o espalhou no mundo. Sua mãe dá mil dólares para quem descobrir o que se passa na cabeça da menina. Eu tenho o endereço anotado na palma de minha mão esquerda. Bem perto de minha pinta que some em ano bissexto.

Anúncios
comentários
  1. Adriano Axel disse:

    Eu adorei isso… Isso=o post, o blog, tudo…O post “Genérico”, em particular… continue escrevendo!

  2. Artur. disse:

    Pois é, mudei a loira. Me convenci de que ela parecia a xuxa! Tive que mudar…rsrsMas esse layout vai ser pra combinar com o do meu portfolio, que já está prontinho e bonitão =D

  3. Fred Neumann disse:

    Oi, Hanny,Lembrei quando vi o Santana, o mestre da guitarra, na praia de Ipanema, e eu estava apenas de sunga e chinelo.Não titubeei pra pegar o autógrafo dele…na sola do chinelo…Terrível besteira! Quando cheguei em casa, já era….Beijocas,Fred

  4. “Como o pensamento humano é medíocre. Na hora do desespero só ouvimos as palavras dos outros.”Por outro lado, vi uma frase interessante esta semana: é na adversidade que se constrói o caráter.Beijos!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s