O nosso mestre é o Guedes!

Publicado: dezembro 27, 2006 em Contos
Elisael levava uma vida robótica. Todo dia ia dormir às 10 da noite e calculava oito horas seguidas de sono para acordar. Mas na ante véspera de seu aniversário de trabalho, acordou suado e ofegante no meio da noite.

Meu Deus, pensou. Nunca acordei de madrugada!

Deu um sorrisinho e lembrou que havia esquecido de passar seu fio dental extra fino.

Oito horas de sono, pensou. Fechou os olhos. Era uma noite de primavera e o tempo estava calmo.

# O nosso mestre é o Guedes! O nosso mestre é o Guedes! O nosso mestre é o Guedes!

Elisael arregalou os olhos sem olheiras.

# O nosso mestre é o Guedes! O nosso mestre é o Guedes! O nosso mestre é o Guedes!

Olhou para um lado, o suor escorria entre as costeletas.

# O nosso mestre é o Guedes! O nosso mestre é o Guedes! O nosso mestre é o Guedes!

Tirou o lençol do corpo rapidamente.

# O nosso mestre é o Guedes! O nosso mestre é o Guedes! O nosso mestre é o Guedes!

Agarrou-se ao travesseiro. Silêncio. Ele estava acordado e sem sono. Era assim a insônia?
Escutou os barulhos da madrugada. Um tic tac pulsante de seu coração. Um latido de buldogue na rua vizinha. Um bater de asas de morcego. Um mosquitinho solitário. O passar de um avião. A eletricidade dos postes de luz.

Foi ao banheiro e higienizou seu dente sensível. Quando voltou, o sono havia voltado. Junto com ele, uma brisa noturna e o incômodo do silêncio.

Sentou na cama. Retirou seus chinelos especiais dos pés. Puxou o lençol para perto do queixo. Deitou confortavelmente em seu travesseiro de fronha azul. Quando os cílios de cima atingiram os cílios de baixo…

# O nosso mestre é o Guedes! O nosso mestre é o Guedes! O nosso mestre é o Guedes!

Elisael decidiu permanecer de pálpebras fechadas. Sussurros sopranos rondavam o quarto.

# O nosso mestre é o Guedes! O nosso mestre é o Guedes! O nosso mestre é o Guedes!

A raiva tomou conta de Elisael. Ele levantou furioso, retirou todos os lençóis da cama, revirou o colchão, descabelou-se. Já era quase a hora do galo quando encontrou no rodapé do guarda-roupa uma fileira de formigas anães, perto de sua coleção de aparelhos de barba usados. Elas entoavam cânticos de felicidade.


# O nosso mestre é o Guedes! O nosso mestre é o Guedes! O nosso mestre é o Guedes! – diziam.

Elisael Guedes desde então as guarda dentro de um pote de tupperware. Quando a insônia vem, ele as retira e se diverte vendo-as comer manteiga molenga.

Anúncios
comentários
  1. eu tenho medo do guedes.:) mas gosto das formigas

  2. lívia disse:

    hanny, vi o ilusionista e adorei! bem que vc tinha dito que eu gostaria. o que vc achou do filme?beijos…espero que seu natal tenha sido bom.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s