Gargantas profundas

Publicado: dezembro 15, 2006 em Contos
Um garotinho de 5 anos fraquejava na esquina da Dom Walmor com a Marechal Floriano. Azul, verde, lilás, estava sufocando. A dona da mercearia abraçou fortemente o menino entre seus peitos fartos e suados. Ele continuava engasgado. Estava quase vendo a luz no fim do túnel quando o florista perto do cemitério o pegou e o sacudiu de cabeça para baixo. O garotinho expeliu alguma coisa com um buraco no meio, vermelhinha e gostosinha.

# Bala soft, ele disse. A maldita.

Anúncios
comentários
  1. André disse:

    perdi a conta das vezes que minha avó me salvava tirando a bala soft entalada na garganta…ela chamava de bala assassina… tanto é que agora ela virou quadrada.

  2. Lívia disse:

    quem não se engasgou com uma??!!beijos!!

  3. Serjones disse:

    vou engolir umas par, quem sabe ganho um abraço de peitos fartos pra salvar minha vida. hahaha

  4. Anonymous disse:

    nossa, eu me lembro dessas balas assassinas. mas eu bem gostava da de uva.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s