A menina dos cachos

Publicado: setembro 7, 2006 em Contos
22 de outubro de 2006. A menina dos cachinhos foi encontrada vagando debaixo da passagem que leva ao Rio Sul, em Botafogo. Testemunhas relatam que o reconhecimento foi traumático. A menina está viva, mas seu estado é assustador.

Lisméia foi uma menina criada pela tia-avó. Seus pais a abandonaram em 22 de outubro de 1996. Sumiram do mapa, mas foram encontrados mudos 5 anos depois, com um cachinho na mão no sul da Indonésia.

Sua tia-avó ficara surpresa com a criança em sua porta, porque era fato que teria glaucoma no futuro. E quem entregaria uma criança a uma pessoa quase cega?

O dinheiro que a tia havia reservado para a cirurgia foi gasto no cuidar da menina. Lisméia tinha os cachos mais perfeitos que a mulher havia tocado. Muitas vezes acordava com a presença de Lisméia no quarto e os cachos já estavam prontos. Eles começaram a se formar ainda bebê e desde então eram metricamente alinhados.

As mãos da tia-avó já estavam enrugadas e a mesma enxergava em sombras. Lisméia acordava docemente todas as manhães com um espelho na mão admirando a cabeleira de cachos. Era démodé para a época, todas as pessoas riam, mas era uma felicidade interna que a tia-avó começava a estranhar.

# Lisméia, você não acha melhor cortar esses cachos? Você não é mais uma criança.

O olhar da menina petrificou a tia-avó, que mesmo sem enxergar, estremeceu.

# Tudo bem, então, Lis.

O alinhamento dos cabelos incomodava a tia. A perfeição era absurdamente estranha. À noite, depois da janta, a tia pegou escondido a tesoura afiada e se direcionou ao quarto da sobrinha-neta. A menina estava sentada, lendo um livro. Calmamente a tia apontou a tesoura para a cabeleira.

# Não, tia Leia.

A mão da senhora balançou, mas a tesoura não cortou os cabelos. Quanto mais forte ela tentava picotá-los, mais perfeitos eles ficavam. A senhora suava. Lisméia permanecia rígida. A tia desistiu e foi dormir. A menina passou a mão na capa do livro e sussurrou:

# Por favor, não. Ela quer meu bem.

O zumzum pairou no ar. Lisméia fechou os olhos. Respirou profundamente. Os cachos começaram a se transformar em figuras anelares amarelas. Desciam pelo rosto em movimentos de serpente, mas eram finos demais. A menina olhou-se no espelho. Estava careca.

Abraçou o livro enquanto que os gritos sufocados de sua tia eram evocados no quarto ao lado. Lisméia correu. Pegou a tesoura. Abriu a porta da cozinha. Desceu as escadas do décimo terceiro andar. Sentiu-se livre por 15 minutos. Leve, como um animal sem penugem, um cão que acabara de ser tosado. Caminhou lentamente enquanto que o vento batia em sua cabeça nua.

Eu posso fugir. Usar chapéu. Ser budista.

Iria para Copacabana. Pediria dinheiro. Compraria uma passagem para outro país, depois iria para o aeroporto e partiria. Portugal talvez, na África também se falava português.

Atravessou a passagem subterrânea de Botafogo com pensamentos internacionais. Congelou quando ouviu o zumzum pairar no ar. Havia uma sombra enorme de sua pessoa nas paredes da passagem.

Ela viu quando eles entraram novamente em sua cabeça. Arrastaram-se pelas paredes como minhocas famintas e encaixaram-se perfeitamente em seu couro cabeludo. Perfeitamente alinhados.

O sonho se desfez. A mão da menina fez o mesmo movimento que antes a tia avó havia realizado. Lisméia tirou a tesoura do bolso. A mão balançava. Pingava horrores. O cheiro de ameaça fez com que os cachos se prendessem mais ao couro cabeludo. Eram como grandes presilhas de rabo de cavalo. Estava sozinha. A menina perfurou seus olhos. Atacava a íris com toda a força e enquanto desmaiava de dor, seus pensamentos foram invadidos pela força da permanência dos cachos.

Ela não queria mais vê-los, mas a energia de senti-los foi mais forte.

Anúncios
comentários
  1. naper271 disse:

    não gostei desta parte de atacar a íris. de resto, legal.

  2. Artur. disse:

    nossa…assustador.

  3. Daniell disse:

    heheehe ‘atacar a iris’ heheheeh. mas nossa! sinistro! achei Lynchiano…embora vc ainda nao tenha se decidido sobre o Lynch 🙂 E vem k, quem fez esse template pra vc? muito bacana

  4. Rafaela disse:

    olha, ainda bem que meu cabelo é crespim…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s